O que há por trás do desprezo

Há muito a se pensar e discutir sobre desprezo, comumente convivemos com pessoas que desprezam as outras, ou propriamente nos desprezam. Pessoas que nos negam ‘Bom dia’, ‘boa tarde’, um simples ‘tudo bem?’ ou até lançam nos olhares que nos condenam. O desprezo pode acontecer por vários motivos, mas é fato que o mesmo pode ser de grande contribuição para os problemas com auto-estima. Existem pessoas que se julgam superiores, por aparência, condição social, nível intelectual e se sentem no direito de menosprezar os demais. O que nos resta agora é saber os mecanismos por trás do desprezo.

Para começar a entender então o desprezo, ele nada mais é que o desdém, não atribuir o valor real a um objeto ou pessoa, é a indiferença, mostrar o quão é insignificante para ele, é a falta de estima e respeito.

Desprezar o outro geralmente é entendido como a pessoa esta muito cheia de si mesma, autoconfiante. Quando a pessoa despreza, ela mostra suas inseguranças em relação ao outro, a dificuldade de como proceder; muitas pessoas negam veemente o fato de desprezar o outro, dizem que foi necessário, ou mesmo que não perceberam que desprezaram, e quando se dão conta, se culpam por isso, é o mecanismo de defesa (Freud) chamado racionalização, onde se procura motivos justificáveis para as atitudes.

A pessoa desprezada por sua vez, ao se remoer por ódio, deseja a vingança, tenta entender o motivo de ação do outro, e deixa isso influenciá-lo negativamente, se deve acreditar que o problema esta em quem é desprezado e não em quem despreza.

A verdade é que quem despreza se “auto-rejeita”, porque desprezo nada mais é do que mostrar que quem despreza tem problemas relacionados à própria auto-estima e não consegue aceitar a rejeição que tem por si, e projeta essa rejeição nos outros. Acontece quando a pessoa se sentiu extremamente desprezada, e não conviveu bem com a situação, então adota o comportamento com os outros a fim de minimizar a dor sentida um dia; consciente ou inconscientemente adota se a postura: “eu te desprezo antes que me despreze”, sentindo algum domínio sobre a situação. Tudo gira em prol de não se sentir desvalorizado; é uma forma reativa, mas que não permite que o outro chegue onde deseja. Quem rejeita faz com o objetivo que o outro seja influenciado e forme uma auto-imagem negativa, onde se começa a pensar que tudo o que ele faz esta errado, e todo a culpa é atribuída a ele. Reflexos da rejeição começam a ser gerados.

Quando se é desprezado, para tentar encontrar o caminho certo, deve se analisar se o desprezo é justificável. Depois disso, analisar quem despreza, pois por mais que pareça que esta se auto-valorizando, não é bem assim, o desprezo significa falta de auto-estima, é a necessidade patologia de diminuir o valor do outro, quem despreza geralmente já se sentiu tão diminuído, tão sem importância que quer fazer com que os outros se sintam assim também é uma formação reativa4 que é quando os desejos são substituídos pelo oposto do desejo real.

Ha um ditado que diz “quem desdenha quer comprar”, a partir dessa compreensão quem é desprezado deve adotar a atitude mais natural possível, entendendo então o mecanismo de reação mental do outro e tal atitude. Segundo Thomas Fuller, “Muitos conseguem suportar a adversidade, mas poucos toleram o desprezo.” isso porque ao ser desprezado tentamos encontrar qual defeito nosso não foi aceito, para então tentarmos corrigi-lo, mas isso nem sempre é possível, porque quem despreza ao menos tem em vista um motivo real, isso faz com que o desprezado vá atrás de quem o despreza, fazendo com que o mesmo sinta “Poder”, continua desprezando pois naquele momento, se sente valorizado, criando um ciclo.

“Eu não me respeito
Eu não posso respeitar a ninguém que me respeite
Eu só posso respeitar alguém que não me respeite
Respeito Lucio
Porque ele não me respeita
Desprezo Luís
Porque ele não me despreza
Somente uma pessoa desprezível
Pode respeitar alguém tão desprezível quanto eu
Não posso amar alguém a quem desprezo
Logo, como amo Lucio
Não posso acreditar que ele me ama”
(R. D. Laing)

Inúmeras vezes podemos perceber o desprezo por si mesmo na hora de escolher um lugar em um teatro, melhor lugar é para o outro, abre se mão do melhor para dedicar ao outro, quando vai se a uma festa se escolhe o lugar mais escondido, se contenta com pouco por não se achar merecedor. Na citação de Laing logo acima, nos mostra um caso de desprezo, de inferioridade reconhecida, coloca o outro como melhor e não reconhece seu próprio valor. Como pode receber o amor de alguém que ela julga melhor, se ela não é nada, e como Luis pode gostar dela, sabendo que ela é assim, então ela despreza Luis, por não se achar a altura de receber o amor que ele a dedica. A imagem que Lucia alimentou de si, a impede de gostar de alguém que a respeite e valorize.

Sabendo também que muitos usam o desprezo também como arma de sedução, “desvalorizando o produto para levar mais barato” ou simplesmente como mecanismo de defesa, o que deve se fazer é avaliar a situação e sempre ter em mente que o que não se pode alcançar é melhor desprezar, por que assim ninguém precisa reconhecer suas falhas e deficiências,então o ‘ defeito’ pode não estar necessariamente em você, e sim nos sentimentos que os outros tem em relação a você.

Segundo Baltasar Gracián y Morales, “o desprezo é a forma mais sutil de vingança”

 

 

Rafaela Cristina Alves Ferreira

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/66724/1/O-que-ha-por-tras-do-desprezo/pagina1.html#ixzz1Qt7mQdVl

 

FacebooktwittermailFacebooktwittermail
Deixe um comentário